Canelite – principais cuidados e como evitar

Canelite – principais cuidados e como evitar

3502
Cenelite - Revista Corrida Correr

Canelite – principais cuidados e como evitar

Canelite por Thiago Pereira – thiagofisiorp@gmail.com

Canelite é o nome popular da síndrome de estresse do medial tibial ou periostite medial de tíbia, que é uma inflamação do principal osso da canela, a tíbia, ou dos tendões e músculos da tíbia, podendo se tornar fratura por estresse.

A canelite é muito comum em atletas que praticam futebol, tênis, ciclismo, corrida, ginástica olímpica.

Canelite - revista corrida correrPRINCIPAIS CAUSAS

Alterações biomecânicas;
Aumentos súbitos na intensidade do treinamento e duração;
Alterações no calçado e superfície de treinamento;
Lesões de partes moles;
Falta de alongamento;
Anormalidades na inserção muscular.

COMO EVITAR

A prevenção é a chave do sucesso de um praticante de atividade física. Confira algumas dicas para evitar este tipo de lesão.
Caminhar por pelo menos cinco minutos antes de iniciar a corrida, para aquecer o corpo;
Seguir o planejamento dos treinamentos, com atividades de preparo físico, alongamento, fortalecimento muscular, equilíbrio muscular e postura;
Usar um tênis de corrida adequado à pisada e à forma do pé;
Ter uma alimentação equilibrada, pois a deficiência de certos nutrientes pode acelerar a perda óssea;
Respeitar os períodos de descanso para a recuperação do corpo;
Evitar aumentos bruscos na intensidade e duração dos treinos;
Ter cuidado com o ‘overtraining’, pois o excesso de treino é lesivo ao corpo.

TRATAMENTO

A canelite tem que ser olhada com um cuidado especial, já que pode desenvolver problemas mais sérios. Além do habitual incômodo na região logo acima do tornozelo durante a prática da atividade física, a canelite pode causar uma fratura por estresse num estágio mais avançado.
O tratamento é com anti-inflamatório, medicamentos para alívio da dor, fisioterapia, alongamentos ou, caso persista, a parada e uma reorientação dos treinos. Existe uma melhora do sintoma com essas medidas. Curado, em seguida, vale levantar os fatores que causaram o problema, para que ele não retorne. Verifique o motivo da inflamação e corrija o que originou o problema. Veja se a lesão foi causada por treino em excesso ou se o tênis já precisa ser trocado devido ao prazo de validade ou diminuição do amortecimento, por exemplo. O alongamento específico para essa região também deve ser utilizado no tratamento.

Alongue os músculos da panturrilha

RP in Motion - Revista CorrerMúsculos da panturrilha tensos podem contribuir para muitas lesões nos membros inferiores, incluindo as canelas. Tente fazer o alongamento dos músculos certificando-se de trabalhar tanto gastrocnêmio quanto o sóleo, várias vezes ao dia. Faça cada alongamento por 20 a 30 segundos e repita de duas a três vezes.
O gastrocnêmio nada mais é do que a panturrilha, que possui três músculos. É chamado tríceps sural da perna. Há o gastrocnêmio medial, o gastrocnêmio lateral e o músculo sóleo, que é o mais profundo deles. Eles começam na região atrás do osso do joelho e se juntam mais ou menos na metade da perna até formar o tendão de Aquiles.

Corra em superfícies macias

Tente encontrar superfícies mais macias para correr, como sobre o gramado ou uma trilha de terra. Correr sobre asfalto/cimento gera estresse extra sobre suas pernas. Não alterne constantemente de uma superfície macia para uma dura durante uma mesma corrida.

Não corra quando sentir dor

Não corra mais do que suas pernas podem suportar. Preste atenção ao que sente nas pernas, e quando você sentir dor, pare de correr e vá descansar. Às vezes, isso pode acontecer depois de você ter corrido apenas 1 km; às vezes, após ter corrido uma distância bem maior. Eventualmente, suas canelas ficarão mais fortes e você será capaz de correr novamente, se assim quiser. Quando suas pernas precisarem de descanso, tente outra atividade, como andar de bicicleta ou nadar. Dessa forma, você ainda pode ficar em forma sem causarmais danos às suas canelas.

OUTROS CUIDADOS
  • Conservador, ou seja, fisioterapia e medicamentos (quando orientado por um médico)
  • Repouso relativo, dando preferência para exercícios sem impacto (como bicicleta ergométrica), para manutenção do condicionamento físico
  • Exercícios de alongamentos para os músculos da panturrilha; À medida que os sintomas vão regredindo, incluir os exercícios de fortalecimento para musculatura da perna (panturrilha, tibial anterior, posterior e fíbula)
  • Correção do tipo de pisada do pé com uso de tênis de acordo com a pisada (neutra, pronada ou supinada)
  • Retorno gradativo ao esporte
  • Exercícios de propriocepção, que é a percepção de posicionamento que o corpo tem no espaço, também conhecido como cinestesia
  • Use gelo durante 20 minutos no começo da inflamação de três a quatro vezes ao dia
  • Bandagens funcionais (taping) que têm como função gerar estabilidade em algumas articulações sem impedir totalmente a sua mobilidade
  • Trabalhe a flexibilidade: alongue antes e depois do exercício. Deite-se de costa com um pé no ar. Coloque uma toalha em volta da sola do seu pé, e puxe com a sua mão esquerda para trazer os dedos do pé para baixo e para a esquerda, que irá alongar os músculos à direita
  • Massageie suavemente o músculo respeitando sua tolerância de dor

 

Thiago Pereira - Canelite Revista CorrerThiago Luis Domingues Pereira é
graduado em Fisioterapia pela
Universidade Barão de Mauá;
pós-graduado em Fisiologia do Exercício
aplicado ao Treinamento Físico pela UFSCar;
possui especialização em Bandas Neuromusculares e
atualmente cursa Osteopatia Estrutural.

 

Matéria extraída da Revista Correr (fev-mar/16) – páginas 10 a 13.

Leia mais dessa edição: